Início do conteúdo

Casal de corujas encantou comunidade do Campus Canoas

outubro de 2010

Casal de corujas escolheu o Campus Canoas para fazer seu ninho.

O Campus Canoas foi surpreendido, neste mês de outubro, com a presença de simpáticos moradores. Um casal de corujas resolveu construir seu ninho em um morro de terra destinado ao plantio de grama nos arredores do prédio de aulas do instituto. Assim, as aves conquistaram a atenção e a admiração de servidores e alunos, que agora estão preocupados com o bem-estar dos animais.

As corujas, enquanto animais silvestres, estão protegidas pela Lei Federal n° 5197/67, que dispõe sobre a preservação da fauna no país. De acordo com o Art. 1º desta, “os animais de quaisquer espécies, em qualquer fase do seu desenvolvimento e que vivem naturalmente fora do cativeiro, constituindo a fauna silvestre, bem como seus ninhos, abrigos e criadouros naturais são propriedades do Estado, sendo proibida a sua utilização, perseguição, destruição, caça ou apanha.” Dessa forma, o campus, enquanto instituição preocupada com questões ambientais, irá reorganizar as atividades vinculadas à infraestrutura no local onde as corujas estão instaladas, a fim de garantir a sua tranquilidade.

Conforme a professora e bióloga Cristiane Silva da Silva, essas corujas, que fazem parte do patrimônio natural do Brasil, deverão ser protegidas pela comunidade do Campus Canoas. “Trata-se da espécie Athene cunicularia, popularmente conhecida como coruja-buraqueira, muito comum no Brasil, que vive em campos, pastagens e em áreas urbanas. Com hábitos terrícolas, ocupa buracos cavados no solo e alimenta-se principalmente de insetos, mas pode capturar presas de várias espécies, incluindo pequenos mamíferos, anfíbios e até mesmo outras aves de menor porte.”

Em uma instituição de ensino como o Campus Canoas, nada melhor do que essa agradável visita, já que a coruja é símbolo da sabedoria desde a Grécia Antiga. Conforme a mitologia grega, a deusa Atena possuía uma coruja como mascote, aparecendo, muitas vezes, sob essa forma. Além disso, pelo fato de ser uma ave noturna, a coruja era considerada pelos gregos exemplo vivo do saber, pois a noite, para eles, estava associada ao pensamento filosófico. As recém-chegadas amigas servirão, assim, como inspiração para que o instituto se consolide como um local de primazia do conhecimento em sua caminhada pela educação. (Notícia publicada originalmente no site do Campus Canoas:http://www.canoas.ifrs.edu.br/site/conteudo.php?cat=1&sub=91 )

Casal de corujas da espécie Athene cunicularia.
Coruja da espécie Athene cunicularia, que se instalou no campus.
O ninho desta espécie são buracos cavados no solo.

Atualizado em: 19 de outubro de 2021 às 08:51

Fim do conteúdo